Para entender a cura pelos movimentos de pilates devemos conhecer em primeiro lugar quem criou a técnica.

Joseph Pilates foi o criador do método Pilates. Também foi autor da frase “a mudança acontece através do movimento e movimento cura”. Portanto ele melhor do que ninguém conhece a efetividade de seu método.

Quando tudo começou?

Foi na Inglaterra durante a 1ª Guerra Mundial em que ele reabilitou muitos feridos da guerra. Nessa época pôde comprovar que os que se exercitavam com seu método não adoeciam como os sedentários que eram acometidos frequentemente com as doenças infectocontagiosas.

Hoje é comprovado que pessoas ativas têm menor risco de adquirir doenças crônicas-degenerativas. Até nosso sistema imunológico melhora com o movimento! É possível encontrar artigos científicos que afirmam que a prática de exercício físico aumenta os opióides, serotonina e endorfina, além de ser um tratamento não farmacológico.

Não duvide da melhoria da saúde através do movimento.

Você ainda tem dúvidas que nossos 206 ossos e 650 músculos foram feitos para se mover em sua plena capacidade?

 Muitas das dores, como por exemplo a dor lombar ou a dor miofascial, são causadas pelo sedentarismo. Antigamente, para o tratamento da dor, a maioria dos médicos prescrevia analgésico e repouso.

Atualmente, é comum a indicação para manter-se em movimento porque não basta calçar um tênis e sair por aí porque seu corpo precisa estar adaptado à mudança de hábito:Além disso é preciso ter estrutura física progressiva para sair do sedentarismo! Movimentos de qualidade somados à orientação de um profissional habilitado fazem toda a diferença.

Movimento é vida.

Neste sentido, em primeiro lugar, o Pilates além de ser um método que movimenta o corpo como um todo, possui turmas reduzidas de no máximo 3 clientes por horário, ou até mesmo com sessões individuais. Nas sessões se respeita o ritmo e objetivo de cada cliente, este pode ser iniciante, intermediário ou avançado, os exercícios são planejados semanalmente por fisioterapeutas que após a avaliação do profissional, traçam estratégia de tratamento e buscam movimentos nas amplitudes livres de desconforto ou dor.

As indicações para se exercitar com o método e, sair do quadro álgico são muitas, com destaque para:

Redução do estresse e depressão

Quem não vive estressado em grandes centros urbanos como, por exemplo, São Paulo? Os exercícios do método Pilates trabalham com a respiração consciente. Todos os movimentos são preconizados à inspiração nasal e a expiração oral e como resultado este padrão respiratório além de aumentar a capacidade respiratória ativa os músculos profundos, conhecidos no Pilates como powerhhouse ou core. Muitos pacientes afirmam que os exercícios melhoram o humor, a disposição, combatem a insônia e a depressão. Exercitar-se é um bom indicativo que a vida está melhorando! Pilates melhora a depressão sim!

Fibromialgia.

A fibromialgia é uma doença músculo-esquelética caracterizada por dor difusa, diagnosticada pelo reumatologista, e acomete principalmente as mulheres. O Pilates, por ser um exercício de baixa a moderada intensidade, é indicado para este público portanto na primeira sessão já é possível observar a melhora da disposição e sono. Além disso é fundamental que o profissional conheça algumas características peculiares da doença para evitar o aumento da intensidade da dor em pacientes fibromiálgicos.

Artrose.

A artrose é a doença articular degenerativa que mais acomete a população idosa e também indivíduos ativos que se exercitam com treinos cíclicos como corrida e bike, a degeneração da cartilagem pode ser localizada em apenas um articulação ou ser em múltiplas articulações.

O fortalecimento dos músculos profundos e superficiais e a organização postural antes de todos os exercícios do Pilates contribuem para a melhora da estabilidade articular e da propriocepção por isso a curto prazo já se observa a melhora da força e do equilíbrio.

Hérnia de disco.

O Pilates é um método eficaz no tratamento da hérnia de disco classificadas em quatro graus: abaulamento, protusão, extrusão e sequestro. A maioria dos pacientes que procuram o Pilates apresentam algum grau de degeneração do núcleo e coluna vertebral, estes se beneficiam dos princípios e fundamentos do método na melhora do quadro álgico principalmente na região lombar e/ou cervical.

Infelizmente, alguns profissionais da área da saúde limitam os movimentos de seus clientes afirmando que o movimento é proibido, mas precisamos mover nossos corpos para ter funcionalidade como para levantar da cama, sentar, agachar dentre outros. O Pilates permite no seu tempo, restaurar a mobilidade de coluna e a ter uma vida normal, sem dor!

Lesões esportivas.

Com frequência pessoas ativas são acometidas por lesões esportivas, são comuns disfunções em pés, tornozelos, joelhos, quadris e coluna. O Pilates promove reequilíbrio neuromuscular – músculos alongados e fortalecidos – prevenindo e atuando em muitas das lesões desportivas. Durante os exercícios, é priorizado o alinhamento postural, o crescimento axial e a contração do centro de força.

Os pacientes que se lesionam praticando exercício físico se beneficiam rapidamente através da prática orientada do método Pilates. Este não interfere nos treinos tradicionais de musculação porque atua na estabilidade profunda do tronco. Como resultado deixa o praticante ainda mais simétrico e aumenta a performance desportiva.

Incontinência urinária.

Se você pensa que com a idade é normal ter escape de urina da mesma forma quando em esforço como tossir e espirrar, você está enganado!

A incontinência urinária por esforço acomete principalmente as mulheres. Ela é mais frequente nos exercícios de impacto de força máxima, durante a gestação, no pós parto e também nos idosos. O Pilates é um excelente recurso de tratamento não invasivo antes mesmo de uma possível indicação cirúrgica.

Os treinos de alto impacto como corridas de rua, treinos funcionais com exercícios de pular corda e crossfit, estão sendo alvo de atenção para o risco iminente de incontinência urinária por esforço.Esta é uma disfunção que tem cura e deve ser tratada por um profissional capacitado, se você não sabe como contrair efetivamente os músculos do assoalho pélvico, no Pilates você vai aprender a despertar estes músculos adormecidos e viver com qualidade de vida sem precisar usar protetores íntimos.

Seu corpo é integral, ele precisa estar conectado para ser funcional, livre de disfunções, tensões e dores.

Sobre a autora:

Érika Batista é:

  • Fisioterapeuta mestre em reabilitação.
  • Criadora do Curso de atualização em coluna do Voll Pilates Group
  • Coordenadora técnica do FisioStudio Pilates & Fisioterapia, estúdio de pilates na Vila Mariana, localizado na Rua Joinville, 157, SP. Para agendar sua avaliação entre em contato conosco através dos telefones (11) 4801-3737 ou (11) 94792-0357.